O primeiro bloco do Grupo de Estudos reuniu pessoas de diferentes estados do país, entre eles Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Piauí e o Distrito Federal. O estudo e a reflexão sobre representatividade deu-se a partir de recursos que reuniram as vozes de Lélia Gonzales, Bell Hooks, Lia Vainer Schucman, Lázaro Ramos,Taís Araújo, Ma Rainey, Poetas Vivos e Síganus, além de cineastas brasileiras.

Sob a condução de Daniele Barbosa, o coletivo construiu o seu modo de escuta e indagação a cada encontro, acolhendo a reflexão e a experiência de pessoas envolvidas com instituições culturais, educação, justiça, psicologia e artes. Ao final, com a sensibilidade ativada para identificar o desequilíbrio de representatividade das pessoas negras no contexto de cada participante, foi possível esboçar ações de um movimento de esperança para a diminuição de efeitos destrutivos e para a autorrecuperação coletiva (hooks, 2021).

Pamela Zorn e Iury Araujo fizeram a relatoria de cada encontro, acesso pelas imagens.